Mantendo o pé no chão:

uma introdução ao trabalho multimídia

INTRODUÇÃO

O presente trabalho – um e-book, um site, um filme longa-metragem, um filme curta-metragem a respeito do Samba de Roda do Recôncavo Baiano – embasa-se em três frases e um princípio:

Para valorizar, conhecer. Para conhecer, divulgar. Divulgando, eternizar.

De fato, o Samba de Roda está em um processo entre o esquecimento e a revitalização.
Desde a década de 1970, vêm ocorrendo mudanças sociais significativas, na configuração socioeconômica do Recôncavo Baiano. A região passou por um sensível processo de industrialização, deixando de ser exclusivamente um local de lavouras de cana de açúcar e de fumo. Hoje, quem visita, por exemplo, Santo Amaro da Purificação, verá duas indústrias de papel: a Indústria de papéis e embalagem Penha a indústria de papel higiênico Bacraft, que emprega grande parte da população santamarense.

Essa mudança de perfil da região do Recôncavo resultou em duas esferas, evento bastante comum em tempos de globalização: a antiga e a moderna.


A faceta “moderna” do Recôncavo Baiano está relacionada ao trabalho industrial, aos meios de comunicação de massa e, assim, à cultura globalizada: ouve-se música “sertaneja universitária”, ouve-se o “arrocha”, ouvem-se sambas comerciais como o pagode.

 

A faceta “antiga”, por outro lado, está relacionada ao trabalho rural, em especial ao trabalho de subsistência, e está ligada à cultura tradicional da região, que inclui a valorização e a prática do Samba de Roda.


Diante dessa dualidade presente no Recôncavo Baiano, os jovens habitantes da região interessam-se muito pouco pelo Samba de Roda. Muitos consideram-no “coisa de velho”, “coisa do passado”, frases que denotam negativamente o ontem, o passado, o antigo.


Esses jovens, em sua maioria, preferem o moderno, o popular, a cultura globalizada que lhes chega pelos meios de comunicação de massa, como afirmam nossos entrevistados:

Porém, assim como afirmou o etnomusicólogo Xavier Vatin, não há necessidade de se escolher entre uma e outra expressão cultural. Como um processo paralelo (ou até confrontativo) ao processo de esquecimento do Samba de Roda, tem havido um importante movimento de busca por revitalização dessa expressão cultural.

Link anterior:

Um Prefácio

©FabianaDeLazzari.  Site desenvolvido por Kaza Véia Produções Artísticas. By FPDL.