História

No ano de 1500, os portugueses “descobriram” o Brasil. A esquadra de Pedro Álvares Cabral avistou aquilo que foi denominado de “Monte Pascoal” (o nome deve-se à data da “descoberta”, 21 de abril, uma terça-feira próxima à Páscoa), no litoral no território que atualmente corresponde à Bahia.


Entre 1534 e 1566, nesse mesmo território, foram formadas cinco Capitanias Hereditárias. Uma delas era a Capitania do Paraguaçu ou do Recôncavo da Baía, doada em 1566 a Álvaro da Costa. Em meados do século XVIII, a área foi comprada pela Coroa Portuguesa e unida à Capitania da Bahia.

Principalmente após sua definição como capital, Salvador transformou-se no principal ponto de comércio transatlântico português na América.

A região do Recôncavo Baiano logo viu-se com núcleos de habitação, com seus primeiros colonizadores, uma vez que se mostrou naturalmente seguro e bem provido.

Seguro, porque as primeiras ilhas e os recifes dificultavam a entrada de navios inimigos: seus navegantes desconheciam as sinuosidades características da região (ao mesmo tempo, a entrada era acessível a pequenas e médias embarcações daqueles que conheciam esses meandros).


Bem provido, devido ao rico solo de massapêao fácil acesso ao Oceano Atlântico.

A região tornou-se pródiga na produção açucareira e foi, aos poucos, desenvolvendo-se: de paróquias, a vilas e a cidades, como Santo Amaro e Cachoeira.

Link anterior:

O sal é um dom

©FabianaDeLazzari.  Site desenvolvido por Kaza Véia Produções Artísticas. By FPDL.